Meu Passado Me Condena 2 - Filme com Fábio Porchat e Miá Mello

Olá Galera tudo bem?
Mais um filminho sessão da tarde, vamos lá?

A vida de casado dos apaixonado Fábio (Fábio Porchat) e Miá (Miá Mello) cai na rotina quando, as diferenças, que não são poucas, precisam ser enfrentadas. Após Fábio esquecer o terceiro aniversário de casamento, Miá decide pedir um tempo. Quando o avô de Fábio, que mora em Portugal, o comunica que ficou viúvo, ele enxerga nesta viagem para o funeral uma oportunidade de salvar seu casamento.


Mas dessa vez, eles estão sofrendo com uma séria crise, que pode levar ao fim do relacionamento. Completando 3 anos de casados, Miá surta com seu marido que esqueceu essa data tão especial.

Ele é um cara acomodado, preguiçoso e infantil mas com um coração enorme.

Aos trancos e barrancos ele está sempre tentando agrada-lá, seu amor por ela é nítido, isso é o que deixa o personagem Fábio, muito engraçado, muito fofo e o mais querido ainda.

Miá, não aguenta mais essa situação e pede o divórcio. Durante a discussão, o telefone de Fábio toca, é seu avô, comunicando a morte de sua companheira.
Surge ai a oportunidade perfeita para salvar seu casamento, uma viagem para Portugal, onde estava acontecendo o velório, da mulher de seu avô, (não era avó dele). Ela acaba aceitando ir, por se tratar de uma perda, fica comovida e vai.

O casal Wilson e Suzana, os amigos pilantras do filme anterior estão aqui também, donos de uma funerária. Com um relacionamento bem maluco, os dois resolvem tudo com sexo, essa é a forma que eles encontraram para "acertar as coisas", eles sentem mais atração um pelo outro assim, diferente e bem divertido. Com uma ideia quase genial Suzana se passa pela falecida do avô de Fábio, para ver se consegue arrancar algum dinheiro do viúvo.
Uma fazendo cheia de lembranças e com muito passado envolvido, é isso que eles encontram quando chegam ao local onde seu avô mora.
Álvaro e Ritinha, são amigos de Fábio desda infância, na verdade Ritinha foi sua namoradinha, o que já deixa obvio o que pode acontecer, e Álvaro, é um cara bruto que desde pequeno tem uma implicância com ele.
Desde aquele tempo vivem ali, cuidando de tudo e de seu avô.
Miá, mesmo cansada de seu casamento, sente aquele ciúmes horrível pela namoradinha de infância, que agora está noiva de Álvaro, mais não perde a oportunidade de se aproximar do marido dela.
O engraçado, é que toda vez que ele tenta agradar a mulher alguma coisa da errado, fazendo o público cair na gargalhada, com a desgraça alheia.
Quem lembra do Cabeça (Rafael Queiroga), o amigo entrão do Fábio?

Então ele aparece neste filme também, mas dessa vez seu papel não é tão marcante assim, que para varias, surge para ajudar Fábio (como se precisa-se), a entrar em mais uma daquelas situações cabulosas.
Por fim, tudo gira em torno do casal, que tem por objetivo mostrar que casamentos perfeitos não existem, e menos ainda pessoas perfeitas,

Mas quando se ama de verdade, tudo isso se torna suportável.
O filme é previsível, e um pouco, na verdade muito obvio, e fraquinho também, por isso resolvi deixar a história no ar, para vocês, descobrirem a graça do filme sozinhos. E claro garantir a risada que será inevitável.
Espero que gostem, porque eu gostei, como adoro os personagens do Fábio Porchat.

Beijos e até mais...
Não esqueçam de comentar *-*

Compartilhar:

ParticipeComentando

3 comentários:

  1. O que salvou o filme foi o Fábio Porchat, porque a Miá é muito forçada e péssima atriz. A história também passada em Portugal foi bem chata e o sotaque dos personagens incomodou bastante. Infelizmente, porque o primeiro foi bem melhor!

    Beijos querida!

    www.anyellemagnani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não sou muito fã de comédia, mas dou risada até dos comerciais com o Fábio Pochart... inevitavelmente acabarei assistindo.
    Adorei o blog, já estou seguindo.
    Beijos!
    SUA ESTANTE
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir

Não esqueça de comentar